20 de jan de 2016

// //

Onde posso cursar Engenharia Naval?

Quando eu era criança, sempre ouvia que para cursar Engenharia Naval eu deveria ir morar no Rio de janeiro. Cresci com essa ideia, a de que eu acabaria morando longe da família, para então realizar o meu sonho. Na época, essa graduação só existia no Rio de Janeiro (UFRJ) e em São Paulo (USP).
Na reta final do vestibular tive a grata surpresa de descobrir que não precisaria sair de Belém, pois havia, a três anos, o curso na UFPA.
Atualmente, após oito anos do meu ingresso na faculdade, é possível cursar Engenharia Naval em mais três universidades:

  • Universidade de São Paulo (USP)
  • Universidade Federal do Pará (UFPA)
  • Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Universidade do Estado do Amazonas (UEA)
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Universidade de São Paulo (USP)

"O Curso de Engenharia Naval da Escola Politécnica da USP existe desde 1956. Foi criado porque a Marinha do Brasil precisava de engenheiros navais e escolheu a USP para formá-los.
Além de formar estudantes para a Marinha, o curso também formava engenheiros para o mercado naval, o qual necessitava profissionais qualificados para a frota brasileira. Durante os anos 80, o Departamento de Engenharia Naval expandiu suas atividades, incorporando novos temas como engenharia de materiais e tecnologia de  exploração em águas profundas.
Desde 1990, o departamento recebeu o nome de Departamento de Engenharia Naval e Oceânica."

Mais informações no site >>

Universidade Federal do Pará (UFPA)

"O curso de Engenharia Naval da Universidade Federal do Pará, era um sonho acalentado desde 1950 pela comunidade Amazônica que demanda Engenheiros locais com este perfil. Alguns poucos projetista e Arquitetos Navais atuavam na Região Amazônica até o início do século XXI, quando em janeiro do ano de 2005 foi fundado por uma resolução provisória do Magnífico Reitor da UFPa, e em 2007 a resolução de n° 3601 foi aprovada pelo Conselho Superior desta (IES) criando o respectivo curso."

Mais informações no site >>

Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

"A UFPE é a primeira universidade do nordeste brasileiro a oferecer um curso de graduação em Engenharia Naval.
Para a construção de embarcações em geral e de plataformas para exploração de petróleo, a nação brasileira precisa de estaleiros, que movam a economia da região onde estão instalados, não apenas pela geração de empregos diretos, mas também pela geração de empregos indiretos em toda a cadeia de suprimentos fornecedora de peças e serviços no setor. O Curso de Engenharia Naval irá formar engenheiros para atuar na construção e reparo naval e no projeto de estruturas navais e marítimas, com discernimento quanto à sustentabilidade, responsabilidade social e ambiental, mantendo competitividade a nível internacional."

Mais informações no site >>

Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

"Os oceanos oferecem grandes desafios ao desenvolvimento tecnológico que oportunizem a comercialização globalizada, a exploração de petróleo, a pesca, a geração de energia renovável e as atividades de lazer.
O curso de Engenharia Naval da UFSC no Centro de Engenharias da Mobilidade em Joinville, SC, foi modelado de forma eclética a capacitar os seus egressos a assumirem relevante papel no contexto tecnológico nacional contribuindo para o engrandecimento do Brasil e a melhoria de vida de sua população. Para tal, nossos engenheiros navais são capacitados ao desenvolvimento de projeto e construção de embarcações e seus respectivos sistemas, a administração e organização portuária e ao estudo do transporte marítimo de cargas."

Mais informações no site >>

Universidade do Estado do Amazonas (UEA)

O curso ainda não possui descrição. Você pode pedir ao Coordenador Eduardo Rafael Barreda Del Campo (eduardoserapio@yahoo.com.br) para acrescentá-lo ao site.

Mais informações no site >>

Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

"A partir do sólido conhecimento adquirido sobre os aspectos hidrodinâmicos, estruturais e mecânicos durante o curso de Engenharia Naval e Oceânica, os diplomados podem atuar na indústria naval com mecânica pesada, fabricação de máquinas, projeto e construção de equipamentos; em projetos para a construção de navios, lanchas, veleiros e plataformas de produção de petróleo, nos Transportes Aquaviários (Marítimos e Fluviais) e, de forma única, em inúmeras atividades que envolvem a exploração e produção sustentável de recursos do mar, como o petróleo."

Mais informações no site >>

Agora o acesso ao curso está muito mais democrático. Desde que me formei, o número de cursos dobrou! Esta é uma excelente notícia para uma país carente de engenheiros.

0 comentários:

Postar um comentário